<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, julho 30, 2004

Contra o comodismo 

A natureza humana prefere sempre a facilidade. Quando se está acomodado, o pior cenário é a sensação de mudança, seja ela qual for. O acomodado fica gordo desleixado e indiferente. Tal como um rato quando encontra queijo para toda a semana. Imóvel, inerte, sem consequências.

quinta-feira, julho 29, 2004

Porquê? 

Director Nacional da PSP, Mário Morgado, demitiu-se. Porquê? As estatísticas mostram que fez descer a criminalidade em 2%...

Lamento... (por não poder ajudar) 

Olho para a televisão e fico triste. Entristece-me ver este país queimado. Mais ainda, ver as pessoas que pouco têm, verem os seus nadas desaparecer-lhe diante dos olhos. Olhos de impotência perante tão grande mal. Fico triste e revoltado. Pessoas cujo sustento e trabalho de anos, um incêndio levou. Vi pessoas resignadas a pedirem para ir junto com as suas coisas. Vi pessoas que sobreviveram, mas perderam tudo. Vi quem, seguramente, em breve se dará por vencido. Ouvi pessoas dizerem que já não têm idade para reconstruir, pelo tempo que lhes resta de vida e pelo ensinamento de dificuldade no construir que a vida lhes deu. Vi desespero e ansiedade. Vi pânico e choro de criança em corpos de idade. Vi miséria em Portugal escondida no interior. Vi que quem se manifesta nas ruas não são os que realmente sofrem. Vi a Serra Morena (Almodôvar) e bastou-me essa imagem para me imaginar, de lâmpada mágica na mão a recuperar a vida daquelas pessoas. Ouvi alguém, que perdeu tudo, dizer que com 250 euros por mês era difícil recuperar. Senti que não há política nenhuma no mundo, nem regime que auxilie todos os que sofrem. Há sempre um que se deixa escapar por entre os dedos. Aquele que vive e morre sem se dar por ele. Para esse nunca houve fóruns TSF para reclamar. E esse, há quem ignore, mas é igual a todos nós!
[por AMC]

quarta-feira, julho 28, 2004

BCP é a mais-valia do BE 

Porque será que, o "ex-menino do coro" Louçã, não fala na menos-valia de 300 milhões de euros da CGD no BCP? Será por ser verdade que é o BCP quem financia as campanhas do Bloco de Esquerda? Qual será a taxa de juro? Será que há taxa de juro?

O catolicismo de Louçã 

Francisco Louçã frequentou o Liceu Padre António Vieira, em 1966, onde era "o menino do coro", alvo da chacota cruel dos petizes da altura. Sim, é verdade, Louçã andou num liceu com nome de padre. Seria católico na altura?

Dá-lhe com força, Bagão! 

Bagão Félix acabou por protagonizar um dos momentos da tarde de ontem, no debate do Programa de Governo, ao tentar explicar a Francisco Louçã o impacto que provocaria na economia uma redução no IRC.
Louçã perguntou: como se espera que ocorra um aumento do produto em 0,4%? Como é que faz as contas da perspectiva para nos dar esta garantia?
Bagão disparou: O IRC são 700 milhões de contos, 3.500 milhões de euros, a passagem de 30 para 25% significa uma redução de 18%, multiplique 18% por 700 milhões de contos dá-lhe 110 milhões de contos, divida por 30.000 milhões de contos e tem 0,4% do PIB.
Nem mais!

terça-feira, julho 27, 2004

Louçã era gozado na juventude, por isso é que se tenta agora vingar de tudo e todos 

Em 1966, está [Santana Lopes] no Liceu Padre António Vieira, em Lisboa. Ali se cruza (...) com Francisco Louçã, futuro líder do Bloco de Esquerda. Ficou famoso o peditório que Santana organizou entre os colegas para perfazer a quantia de 20$00 (10 cêntimos), propondo a Louçã que dissesse um palavrão por esse preço. Louçã recusou.
in "Grande Reportagem" de 24 de Julho de 2004

Post Scriptum: A curiosidade na relação entre a data da revista e o tema em análise. Coincidência persecutória, digo eu.

"Gags" do PM 

Desconhecia esta recente faceta de Santana Lopes: engasgar-se em discursos, quando os está a ler. Ouvir Santana a ler torna-se enfadonho e cansativo, precisamente o oposto daquilo que se verificava quando usava da sua capacidade oratória para (nos Congressos do seu PPD/PSD isso era muito visível), colocar mais de meio Congresso a aplaudi-lo de pé.
Se quiser um conselho humilde aqui do Bar, improvise mais e leia menos. Fica-lhe bem melhor!

Hum... 

Santana propôs ao PS um pacto de regime...

segunda-feira, julho 26, 2004

Sobre o fim-de-semana 

. Tanto calor, desde sábado, em Portugal. Ontem saí do Algarve por volta das 20:00 e nos termómetros estavam 38 graus centigrados...

. Muitos incêndios pelo país. O calor e alguém a aproveitar-se do calor...

. O Brasil ganhou, uma vez mais, uma competição, sem o merecer. A sorte ganhou ao saber.

. Casa do Castelo abriu com a "Amazing Party". Muito bom, como seria de esperar. Desta vez não se viram "caras políticas" na festa de reabertura. Mudam-se os Governos...

. O Programa de Governo até 2006 não tem limite de endividamento às autarquias(?). Mau presságio para o futuro...

sexta-feira, julho 23, 2004

Onde está o Wally? 

Com esta constante azáfama socialista, com apresentação de candidaturas e desistências em função de outros se candidatarem, com esperas ansiosas pela decisão de alguém que viria de Bruxelas para salvar o Rato de se afundar com o navio... Alguém me sabe dizer por onde andará Manuel Maria Carrilho?

quinta-feira, julho 22, 2004

Sobre o PS de hoje 

  1. Alguém consegue imaginar Manuel Alegre a ganhar o Congresso dos "xuxas"?
  2. João Soares adoptou o discurso do "pá!", tipo Otelo, e surgiu com este bombástico slogan: «Vamos a isto juntos». E pergunto eu, vamos a isto? A isto o quê? Parece-me um slogan de polichinelo.

Porquê dar sempre motivo aos outros para falarem?... 

Não podiam ter nomeado os secretários de Estado hoje, se ontem a dúvida era tão imensa? Porque não, evitar dar razões aos outros de falarem mal de nós? Dá para ser mais terra-a-terra? Eu ajudo, se quiserem!

Está vento 

Hoje ando mais despenteado, e há quem saiba o porquê...

Congratulations Mr. José Manuel Barroso 

Pois é. Saiu do país só pensando nele e no seu bem-estar. Não assegurou a continuidade do Governo. Vôos mais altos se levantavam, para si e "para o pais," dizia. Barroso foi hoje, finalmente, eleito Presidente da Comissão Europeia, por cinco anos - com hipóteses de segundo mandato (geralmente é o que acontece).
O Parlamento Europeu elegeu-o com 413 votos favoráveis e 251 contra, numa eleição onde ainda se registaram 44 abstenções e/ou votos brancos.
Enfim, conseguiu. Parabéns.

terça-feira, julho 20, 2004

UEFA elege Vitor Baia como o melhor da Europa 

Esse Scolari que todos vangloriam, mas que não queria convocar Maniche (sim, não me esqueço!) e que não conseguiu ganhar à Grécia, disse a respeito da eleição da UEFA que, "esse prémio valoriza o atleta, que eu não conheço". Como é? É mesmo preciso ter cara-de-pau!...

Ano 2004 - Século XXI? 

A aldeia de Martimlongo (Algarve), já tem água potável a partir de hoje.
Dizem que, "a água agora é mais limpa" e que "por vezes parecia café"...

"Sonhei que ia a Valpaços" 

- Zé!... Tás bom, pá? Então, como te corre a vida?
- Mais ou menos, muito stress, muita viagem, sem tempo para nada...
- Mas ainda estás no mesmo sítio?
- Não pá, já mudei. Agora vou ser Presidente da Comissão Europeia.
- Ah é? E isso é porreiro?
- (risos) É um bocado trabalhoso, mas olha aguento o sacrifício.
- Vais ganhar bem, é?
- Mais ou menos, nada de especial. É mais pelo curriculum. (risos)
- Ah... tá bem. A ver se marcamos aí uma jantarada, há que tempos que não alinhas nisso.
- Ó pá, isso agora é mais complicado, mas eu prometo que um dia eu venho...

segunda-feira, julho 19, 2004

Quando o padre falsifica a missa 

Marcelo Rebelo de Sousa (MRS), ontem, na TVI, foi além dos limites do razoável!... Na análise dos ministros escolhidos por Santana Lopes, a certa altura, MRS diz que o CDS/PP ganhou nesta nova definição governamental e que, o PSD perdeu, justificando que o ganho de uns e a perda dos outros se devia à importância das pastas destinadas a cada partido. E explicou que, o PSD perde porque deu o MNE e a Administração Interna a independentes, dando a importante pasta das Finanças ao CDS/PP, perdendo, por isso, algum peso na Coligação.
Então, professor, para falar de Bagão Félix já não se fala de independentes? Criticar sem razão tira-lhe credibilidade na hora de pregar...

Sócrates perdeu na JS 

O candidato apoiado por José Sócrates para liderar a JS, Hélio Fazendeiro, perdeu por antecipação o Congresso, este fim-de-semana, em Guimarães. O candidato da Beira Baixa, vendo que reunia poucos apoios em torno da sua candidatura, desistiu em favor do que viria a ser vencedor.
O ganhador foi Pedro Nuno Santos ou, como se ouvia pelos corredores, "Pênhunho".
Esperemos que ele, Pênhunho, se passe a conseguir expressar melhor, para não voltar a sair algo como isto: "A JS retirou-se do espaço que foi seu e, agora, é ocupado por outra força política. É inaceitável que a JS em quatro anos não tenha dito uma palavra sobre toxicodependência". Palavras para quê, é um artista, sim senhor!...

sexta-feira, julho 16, 2004

A JS vai a Congresso este fim-de-semana para substituir Jamila Madeira 

Pedro Nuno Santos; João Ribeiro; Luís Filipe Pereira.
Estes são três dos quatro candidatos que, a avaliar pelo que é mostrado No Quinto dos Impérios, vão ser bastante úteis...

Sócrates ao ataque 

Ontem, José Sócrates anunciou a sua candidatura à liderança do PS. Contudo, o candidato a líder deve, desde logo, ter tomado como certa a sua eleição porque, à noite, após o Telejornal da RTP, dava uma entrevista a Judite de Sousa, como se fosse dado adquirido que seria ele o sucessor de Ferro Rodrigues.
Espero agora para ver, aqueles que criticaram o facto de Santana Lopes ter dado uma entrevista antes de ser Primeiro-ministro, o que dirão acerca desta antecipação, de dois meses, por parte de Sócrates.

Coitado do Salgueiros... 

Vou-me esforçar para acreditar que é o único clube (entre Super Liga e Liga de Honra), que tem dívidas ao Fisco!...

quinta-feira, julho 15, 2004

Tristezas da extrema-esquerda 

Parece que o Daniel Oliveira, do Barnabé, anda um pouco confuso e baralhado desde que Sampaio decidiu pela não dissolução da Assembleia da República e consequente continuidade do Governo da Coligação PSD-CDS/PP.
Eu, que sempre julguei que o Daniel era contra a aprovação da Lei de Bases da Educação, fiquei estupefacto quando hoje me deparo com isto!...

Post Scriptum: O Daniel alterou o seu post com um PS (e eu a julgar que era BE), onde se afunda ainda mais. A primeira ideia é óbvia e com ela concordo, agora vindo de si é que parece estranho, porque em vez de exultar de contentamento, se limita a recriminar uma atitude presidencial que, noutros tempos, aplaudiria de pé e pediria bis!

quarta-feira, julho 14, 2004

Firme e hirto 

Ouvi os recentes comentários de Carvalho da Silva sobre o novo governo da República e fiquei enjoado com as posições assumidas. A mim, sempre me ensinaram que, até para criticar, temos de aprender.
De outra forma, uma crítica torna-se num balão depois de rebentado.
Ó Senhor Carvalho, além dos berros no Terreiro do Paço, e outros buzinões na língua "matter", não lhe ensinaram as vantagens de fundamentar as suas posições com teses bem elaboradas, em vez da imberbe e eterna campanha eleitoral em que se encontra na CGTP?
Caso contrário, como diria Mário Soares, os seus "berros" não chegarão aos céus...
Isto, claro, sempre em prol do proletariado nacional, um dos menos produtivos da Europa! Sabia?
Pena que não me oiça, salvaguardada a modéstia devida!

O Nosso Novo Mundo 

Ouvidos os nomes sobre quem recaiu a escolha da Coligação, não deixa de me ressaltar a ideia de, globalmente, se tratar de segundas escolhas.
Onde estão os Borges, os Catrogas e demais notáveis?
Dinheiro, a quanto obrigas...!

Ahahahahahahahahahahahahahah!... 

António José Seguro é um possível candidato à liderança do PS.

terça-feira, julho 13, 2004

O futuro da C.M. Lisboa 

Carmona Rodrigues deixa o ministério das Obras Públicas para regressar à Câmara de Lisboa, desta feita para a liderar. Pessoalmente, julgo ser uma boa escolha, embora preveja que em eleições, Carmona Rodrigues não tem o carisma suficiente para conseguir manter a edilidade sob gestão social-democrata. Por isso, esta solução, talvez seja um adiar do problema da continuidade.

Uma das razões de Vitorino 


Falta de motivação para liderar o PS, foi uma das razões apontadas para o "Não" de António Vitorino.
Entende-se!...

A escolha certa 

António Vitorino, podendo ter uma vida descansada e sem grandes chatices, claro que não iria querer ser candidato a líder do PS.

segunda-feira, julho 12, 2004

Não agitem o barco 


Luís Queiró falou em "regresso à nossa família original" 

O CDS/PP voltou hoje ao PPE (Partido Popular Europeu), de onde tinha saído em 1992. O regresso foi aplaudido por todos os membros do PPE e, a isso brindamos aqui no Bar.

San Fermin de Pamplona 


Terminaram, registando "apenas" oito feridos graves, só no último dia...

Pobre partido... 

... que tem Ana Gomes como dirigente!
Ao longo da semana, muitos disseram que respeitariam sempre a decisão do Presidente da República, fosse ela qual fosse. Desde sexta-feira que se vê quem teve respeito e quem não tem!
Ana Gomes, certamente, terá dito que respeitaria a decisão do dr. Sampaio. Para certas pessoas, do dizer ao fazer ainda vai um longo percurso, muitas vezes inalcancável!...

sexta-feira, julho 09, 2004

Para meditar... 

Ontem Ferro Rodrigues sentia-se preparado para ser candidato a Primeiro-ministro de Portugal e pedia a maioria absoluta (imagine-se tamanho disparate).
Hoje, um Ferro Rodrigues tristonho vem dizer que não tem condições para continuar...
Obrigado dr. Sampaio, por não ter dado a hipótese de uma pessoa sem condições se submeter a sufrágio!
Aqui o Bar do Moe avisou!

Soam buzinas nas ruas 

Não sei se são socialistas a festejar a demissão de Ferro Rodrigues ou se são PORTUGUESES felizes pela continuação da governação PSD-CDS/PP!

De qualquer modo, seja qual for o caso, merecem festejar!

Demissão em directo no PS 

Antes de ser derrotado em Congresso, Ferro Rodrigues já se demitiu da liderança do partido!

Com um discurso de "dar uma no cravo outra na ferradura", Ferro não quis desancar Sampaio, mas foi dizendo que o Presidente da República agiu mal. Foi um Ferro em tom magoado.

Good bye!

Antes das 21:15 

NÃO HÁ!!!

A minha homenagem 

Henrique Mendes (02.01.1931 - 08.07.2004)

Foto: J. Prata

Aos utópicos escritores 

Agora está na moda escrever uma "Carta Aberta". A catrefada delas que eu já vi dirigidas a Jorge Sampaio... Mas será que, quem as escreve, acredita mesmo que o Presidente da República as vai ler?
Mais. Será que, esse alguém que as escreve, julga que, caso Sampaio as lêsse, iria seguir aquilo que o autor dizia?
Será que, quem as escreve, julga que a sua opinião teria o peso suficiente para influênciar a decisão do Presidente da República?
Será que, quem as escreve, e que agora trata Sampaio por "Excelência", alguma vez havia usado o termo "Excelência" para se referir a Sampaio?
Sinceramente, meus senhores de caneta aberta, tanta baboseira incomoda. Olhem-se ao espelho e vejam-se como são.
Agora Sampaio ia decidir o destino político do país, por causa de uma carta aberta... Francamente, tenham tento!

quinta-feira, julho 08, 2004

Há coisas que não se explicam... 

Tal como o facto de, Ferro Rodrigues ainda conseguir acreditar no que diz.

Tentar fazer omoletes sem ovos sempre foi má política!... 

Ferro Rodrigues já pede maioria absoluta para o PS.

Quando se sobe muito alto, a queda é grande!... 

Ferro Rodrigues já pede maioria absoluta para o PS.

quarta-feira, julho 07, 2004

Qual justiça? 



(retirado do Doce da Avozinha)

Tal como os portugueses sabem bem receber, at Moe's we love tourists 


Li Almeida Santos no DN de hoje e interpretei: 

"Se eu nascesse outra vez seria católico, seria do CDS/PP e defenderia a causa monárquica! Além disso, aconselharia o senhor Sampaio que, eleições agora, nunca!"

Question without answer 

O que terá dito ao Presidente da República o constitucionalista Gomes Canotilho?

Deco no Barça e Tiago quase no Chelsea 

Pois é, descobri que as minhas fontes seguríssimas devem ser as mesmas que dão algumas das fantásticas manchetes ao "Expresso"...

Cargos rápidos 

Manuela Ferreira Leite poderá ser a líder do Governo de gestão, que aí vem para equilibrar o momento incerto que o país atravessa.
A utilização da palavra "equilibrar" não é inocente. Vejam como estão as Finanças - equilibradas. Desde que não haja muito vento, ironizo eu, e que o Presidente da República se decida depressa, antes que o comboio da retoma saia da estação novamente.
Após a senhora Primeira-ministra dos 100 dias (Maria de Lurdes Pintasilgo), chegou a hora de nova mulher na liderança. Mas, porque será que elas nunca lá chegam, e, quando o fazem, já sabem que vão durar pouco no cargo...

O que significa ganhar um campeonato? 

O prazer que sentimos ao ganhar o que quer que seja, é a admiração e o reconhecimento dos outros. Neste caso em particular, ambicionávamos o reconhecimento desportivo por parte dos povos que, por todo o mundo, acompanhavam o Euro2004.

Esse reconhecimento conseguiu-o a Grécia. A Grécia tem agora o que muitos outros países, como a França, a Itália ou a Dinamarca já tinham, e que é algo que está disponível de quatro em quatro anos para alguém ir buscar... por exemplo nós próprios em 2008 na Suíça/Áustria, ou em 2006 na Alemanha.

E o que conseguiu Portugal com este Euro? Conseguimos o reconhecimento de todos os que nos visitaram e que se renderam à nossa hospitalidade, simpatia e capacidade de realizar. Demos a conhecer, a milhões de pessoas que nem sabiam que existíamos, que somos capazes de organizar o melhor campeonato de sempre.

É tradição no encerramento dos Jogos Olímpicos que o Comité Olímpico diga que aqueles foram os melhores jogos de sempre, mas essa tradição não existe em Europeus ou Mundiais de futebol. Assim, as afirmações dos máximos responsáveis da UEFA, e repetidas ontem, fazem todo o sentido e não são palavras de circunstância. Este foi de facto o melhor Europeu de sempre: o que melhor recebeu os adeptos, o mais festejado, o mais assistido, o mais seguro, o mais cordial.

Este foi o Euro da amizade e do fair-play. Este foi o Euro em que os adeptos das selecções derrotadas se renderam ao país anfitrião e adoptaram as suas cores.

Este foi também o Euro em que o país anfitrião chega à final como grande favorito, já com a festa preparada e acaba por perder. As imagens que vão passar pelas televisões de todo o mundo não serão imagens de adeptos portugueses derrotados e despeitados a agredir os gregos vencedores. As imagens que vão passar, são as dos adeptos portugueses, numa demonstração inimaginável de fair-play a festejarem com os gregos pelas ruas, fazendo parte da vitória como se fosse sua.

Este reconhecimento de saber receber e de fair-play vai chegar de todo o mundo. Os campeões, esses ficam para as estatísticas como números.

Nós vamos ficar na memória como uma nação incrivelmente tolerante e decente. Este é um motivo de orgulho para nós e poucos no mundo se podem gabar de o ter. Imaginam os arrogantes franceses ou ingleses com esta manifestação de fair-play? Ainda na semana passada um grupo de portugueses foi agredido na Holanda por festejar a vitória de Portugal. Aqui nós participamos na festa.

Assim, apesar de naturalmente triste, sinto muito orgulho em todos nós. Não ouvi ninguém atacar os jogadores ou os seleccionadores, ou o árbitro, como era nosso hábito nas derrotas. Se calhar é porque no fundo sabemos que, no que interessa, não fomos derrotados. Acho que o nosso povo cresceu de forma espantosa!

Por isso, cabeça erguida e esperança no futuro. A partir de hoje o mundo inteiro sabe onde fica Portugal, mas melhor do que isso, sabe que lá vive um povo cheio de um nobre ilustre peito lusitano.

Viva nós!
enviado por Rute Magalhães

terça-feira, julho 06, 2004

O que é para uns... 

... parece não ser para outros.
Santana Lopes e Paulo Portas é que são rotulados de "populistas", mas é a CGTP quem está a manifestar-se agora no Rossio, em Lisboa, com a solidariedade e a presença de Carlos Carvalhas.
Tem piada...

Against blockbuster's 

Ontem fui ver o "Quinteto da Morte", uma comédia com Tom Hanks no papel principal.
Com traços tipicamente americanos, começando no modus vivendi dos policiais e passando pela caracterização da actriz principal, aconselho-o a quem quiser passar um bom momento de diversão.

Qual é o critério? 

Jorge Sampaio prepara-se para decidir como vai ser a vida de 10 milhões de portugueses nos meses futuros. Sampaio tem ouvido várias personalidades políticas, e não só, que ele próprio tem seleccionado. Mas, seleccionado com base em que critérios? Porquê ouvir uns e não ouvir outros? Porquê escolher ouvir Manuela Ferreira Leite e não escolher, por exemplo, Nuno Morais Sarmento ou José Luís Arnaut? Que parâmetros o leva a escolher quem escolhe para ouvir? Porque é que o presidente da CIP e o líder da AIP não foram chamados e João Salgueiro o foi? Belmiro de Azevedo, Américo Amorim, Miguel Horta e Costa, Vaz Guedes, porque não foram auscultados?
Eu tenho esta dúvida!...

segunda-feira, julho 05, 2004

Moral da história da vitória grega 

Tal como acontecera no Estádio do Dragão, ontem, na Luz, voltamos a perder onde só equipas vestidas de azul e branco costumam vencer!

sexta-feira, julho 02, 2004

Empresários rejeitam eleições 

E Santana Lopes é o preferido para homem do leme.
Jorge Sampaio só deve apresentar a sua decisão na próxima quarta-feira, mas, em minha opinião, esta posição dos empresários vale mais de 50% na decisão de qualquer Presidente da República que seja responsável. E Jorge Sampaio, normalmente, é.
A indefinição política, além de estagnar o desenvolvimento económico, trava a retoma que se estava agora a iniciar com o impulso do Euro 2004.
Américo Amorim, Belmiro de Azevedo, Miguel Horta e Costa, Vaz Guedes, só para citar alguns, todos eles defendem a continuidade da governação que saiu das últimas legislativas de 2002.
Resta-nos continuar a aguardar!...

Há coisas que não se explicam... 

Tal como o facto de, a Embaixada de Moçambique, em Lisboa, ser na Avenida de Berna.

quinta-feira, julho 01, 2004

Só três votos contra... 


Assim se fala de Portugal, em Espanha 

Aqui fica o texto na integra:

Por: JESÚS CACHO :01/07/2004

ELOGIO DE PORTUGAL, UN PAÍS CON UNA FEROZ LIBERTAD DE EXPRESIÓN, DEL QUE LOS ESPAÑOLES TENEMOS MUCHO QUE APRENDER

Muchos españoles están descubriendo estos días, aparentemente sorprendidos, la existencia en la casa de al lado de un vecino llamado Portugal, un vecino bastante más pobre que nosotros pero capaz de organizar una evento tan importante como un Campeonato de Europa de fútbol, de construir una serie de estadios, todos magníficos, de ganar a la millonaria selección española, e incluso de colocar como presidente de la Comisión Europea a uno de sus políticos, José Manuel Durao Barroso.

Ese país, cuya selección jugó y ganó ayer la primera semifinal de dicho campeonato contra Holanda, lo cual ya es de por sí un triunfo, sigue siendo un gran desconocido para España y los españoles. ¿Por qué? Porque los españoles, con la inveterada suficiencia de quien se cree superior, se han negado siempre a entender -en realidad ni siquiera lo han intentado- a Portugal y los portugueses.

Cuando la realidad es que España y los españoles tendrían -tendríamos- mucho que aprender de nuestros vecinos atlánticos. Aprender y lamentar la ausencia en España de esa elite intelectual, empresarial y política que habla idiomas, elite muy cercana a Gran Bretaña y a la cultura francesa, muy poco hispanófila, pero muy tolerante, muy abierta, muy cosmopolita.

En Portugal sería impensable contar con un presidente de la República que no hablara francés e inglés. La mayoría de los portugueses se esfuerzan por hablar español ante españoles, haciendo gala de una actitud cívica en el trato que tan difícil es de encontrar en el páramo hispano.

El presidente, Jorge Sampaio, vive en su casa, en su propio domicilio, como el primer ministro. A ninguno le da por convertirse en un Trillo. Nadie enloquece con el cargo. Nadie se prevale de su condición. Antonio Vitorino, actual comisario europeo, dimitió de su cargo como ministro -socialista, por cierto- tras descubrirse un desfase de 8.000 escudos (unas 6.000 pesetas) en las cuentas de su ministerio.

Semanas atrás, el presidente ZP se trasladó a Lisboa en su primera visita relámpago al país vecino, y no se quedó a cenar con Durao Barroso a pesar de haber sido invitado. Todo un síntoma. Vistas así las cosas, no es extraña esa inveterada desconfianza que comparte la clase política portuguesa hacia España, desconfianza que la prensa se encarga de mantener viva. Sus razones tendrán.

Todo el edificio de ese Portugal Abierto -la vieja aspiración de quienes aquí persiguen una España Abierta capaz de superar sus viejos atavismos- se asienta seguramente sobre una feroz libertad de expresión que todos defienden y que se manifiesta en los debates -políticos, económicos- que se celebran en la televisión y en los textos que aparecen en diarios y semanarios (de gran importancia en el país vecino).

Comparar esa libertad de prensa, ese valor cívico del que hacen gala las elites portuguesas para hablar alto y claro, y criticar lo que juzgan merecedor de crítica, con el miedo a hablar de nuestros ricos, de nuestros empresarios, de nuestros políticos, fieles devotos de la ley del silencio, y con el secretismo y la rendición a los poderes políticos y económicos que hoy caracteriza a la prensa española -no digamos ya a la televisión- es como para echarse a llorar. ¿De qué presumen, entonces, los españoles ante Portugal y los portugueses? Ese es, sin duda, uno de los grandes misterios de la Historia Universal.

E pronto, foi fácil, estamos na FINAL 

A laranja mecânica, ontem, perdeu. Hoje, começou-se já a pensar na continuidade ou não do treinador.
Fontes seguras confirmaram-nos que, Pedro Santana Lopes parece estar em boas condições para assumir o cargo!...

This page is powered by Blogger. Isn't yours?